Iso-urea loção, da La Roche-Posay

Em minha última visita à dermatologista, em março deste ano, perguntei a ela que hidratante usar diariamente. Comentei com ela, no dia, que, quando eu morava em Belo Horizonte, gostava de usar o Ureadin, porque ele hidratava super bem a minha pele naquela secura sem fim belo-horizontina. Lembro que, na minha consulta, a médica me perguntou se o hidratante precisava ser à base de ureia e eu falei que ela poderia recomendar qualquer um em que ela confiasse, mas reforcei que eu gostei mesmo do Ureadin, que é à base de ureia.

Acho que já comentei por aqui que não tenho do que me queixar da minha pele (exceto dos cravinhos pretos que tenho no nariz), porque minha pele é hidratada na medida certa e, eventualmente, aparece ressecada, mas basta reduzir os banhos mornos e usar sabonetes que contém hidratante, que ela melhora.

Continuar lendo

Anúncios

Protetor solar: Minesol Oil-control

Se tem uma coisa que todo mudo odeia em protetor solar é a melequeira que ele costuma fazer. O cheiro é outro fator determinante na escolha do protetor e, por isso, venho-lhes apresentar (para quem ainda não conhece, claro) a linha Minesol Oil-control, da ROC. Puro amor, como dizem por aí. <3

Minesol Oil-control

Já falei aqui que usava dois Minesol com fatores de proteção solar (FPS) diferentes e expliquei por quê. Agora, trago pra vocês uma resenha breve sobre esses dois protetores que não saem mais da minha pele nem por decreto.

Como o próprio nome já diz, ambos servem para controlar a oleosidade da pele. Como já falei diversas vezes por aqui, a zona T do meu rosto é oleosa, mas nem tanto. Mesmo assim, digo a vocês que a última coisa que esse protetor faz é deixar nossa pele com aspecto oleoso. Ao contrário, ele deixa a pele bem sequinha e aveludada.

Fora o FPS, a textura dos dois também é bem diferente. Apesar de ambos serem classificados como “gel em creme”, o de FPS 30 é meio aerado, com uma textura que me lembra os cosméticos em mousse:

Minesol Oil-control Minesol Oil-control Minesol Oil-control

O de FPS 70 é mais “melequento”, mas ao ser espalhado sobre a pele, fica super fluido e o resultado final é igualzinho ao de FPS 30. (Faltou a foto dele espalhado sobre o dorso da mão, mas não tem diferença.)

Minesol Oil-control Minesol Oil-control

Não sei exatamente o porquê dessa diferença tão grande na consistência, mas creio que isso seja exatamente pelo FPS. Por ser mais alto, parece-me que o 70 precisa ser mais denso, sabe? Posso estar falando besteira, mas é a sensação que passa, afinal, quanto mais denso, maior a cobertura, né assim que funciona para as bases? :)

O fato é que tenho estado muito, mas MUITO SATISFEITA mesmo com esses dois protetores. Assim que lavo o rosto pela manhã, aplico uma camada generosa de um deles (normalmente, o 70) e 1 minutinho depois eu já posso colocar a maquiagem, porque a absorção deles é uma coisa incrível de tão rápida.

E o cheiro? O cheiro é tão discreto, mas tão discreto, que nem posso dizer que eles tenham cheiro. São tipo amorosamente ideais. <3

A recomendação de aplicação da marca é a seguinte:

Aplique generosamente e uniformemente sobre a pele seca 20 minutos antes da exposição ao sol e sempre que necessário. Reaplique após nadar, secar-se com toalha, sudorese intensa ou tempo de exposição prolongada ao sol. É necessária a reaplicação do produto para manter a sua efetividade.

Na página oficial da marca, vocês podem encontrar a descrição detalhada de cada um deles. As descrições são iguais, mas, se você quiser checar melhor, o FPS 30 está aqui e o FPS 70, aqui. Sabrina, do blog Coisas de Diva, também já fez uma resenha bem positiva sobre ele, que pode ser conferida clicando aqui. Para quem não a conhece nem o blog, ela tem uma pele extremamente oleosa e sempre dá dicas excelentes para quem sofre desse mesmo problema.

A única parte ruim deles é o preço. Porque ambos custam de R$ 60 a R$ 65, nas farmácias em que pesquisei aqui no Recife. Mesmo assim, se consideramos que a região de aplicação principal é o rosto, 50g vão durar bastante. ;)

E aí, pessoas? :) Qual protetor solar vocês usam, em quais ocasiões e qual o tipo de pele de vocês? :)

Protetor solar: de dia e de noite, sim

Dia desses, postei no Instagram uma foto com os meus companheiros de todo dia (e toda noite). Algumas pessoas estranharam o fato de eu usar protetor solar à noite e, por isso, vim explicar.

Como não sou dermatologista nem sou da área de saúde, o que posso fazer é recomendar algumas postagens que melhor explicam o que direi a seguir, ok? :) O lance é o seguinte: os raios solares são de duas qualidades: UVA, responsável por causar manchas e envelhecimento da pele, e o UVB, responsável pelas queimaduras tão conhecidas de todos nós. O que muita gente não sabe, porém, é que esses raios não nos atingem apenas quando estamos diretamente expostos à luz solar. Eles se espalham por dentro de casa, durante o dia, e, quando o sol cai, costumamos acender as lâmpadas, que, mesmo sendo consideradas frias, são fluorescentes e emitem, sim, os raios UVA. Estranho, né? Mas é verdade. Uma boa explicação, com imagens bem didáticas, está aqui, numa página da Globo.com.

Meu pai, que já faleceu há pouco mais de 11 anos, era tão ou mais branco que eu. Mas ele tinha braços, colo e rosto extremamente vermelhos, queimados e envelhecidos por causa da constante exposição a lâmpadas fluorescentes e telas de computador (ele era analista de sistemas e ficava, no mínimo, 8h por dia na frente de monitores diversos). Eu sempre achei que as queimaduras e pele envelhecida do meu pai tivessem sido adquiridas na juventude, com as visitas frequentes à praia ou nas horas de direção sob o sol do meio-dia (nesse caso, não faria sentido as queimaduras uniformes nos braços e no rosto, né? Mas eu ainda era uma criança quando me peguei pensando nisso tudo).

Nesta página aqui, existe a informação de que 8h diárias de exposição à luz fluorescente (incluindo, aqui, a luz da televisão e do monitor do computador) equivalem a 1 minuto e 20 segundos de exposição ao sol em dias lindos de verão. Parece muito pouco, é verdade, mas imaginemos o tanto de horas que passamos em lugares fechados e, mais ainda, o tanto de horas que passamos em frente aos nossos computadores e/ou televisores. Ao final do ano, teremos um resultado que, embora gradual, será equivalente a 5 horas e 48 minutos de exposição ao sol em um lindo dia de verão. Agora dá para entender o drama, não é? (E, convenhamos, não é drama.)

Não disse, ainda, por aqui, mas estou fazendo tratamento com ácido retinoico para dar fim às manchas de pele que adquiri na minha infância de criança-da-praia. (Quem me conhece pessoalmente nota logo que eu não sou de frequentar a praia, mas isso não foi sempre verdade, porque minha avó tinha uma casa na praia e era lá onde eu gastava a maior parte dos meus fins de semana.) Minhas manchas no rosto eram por mim consideradas como discretas, até a dermatologista olhá-las e perguntar, simplesmente: “Você não se incomoda com essas manchas?”. Então ela sugeriu que eu experimentasse o tratamento com o ácido retinoico, para dar aquela clareada na pele do rosto, já tão castigada pelos vários anos de sol e mar. Segundo ela, os benefícios do ácido não se resumem ao desaparecimento das manchas, mas falarei dos outros benefícios posteriormente.

Aí, gente, o que acontece é que, colocando ácido no rosto, à noite, diariamente, eu não posso nem sonhar em me expor aos raios UVA e UVB sem protetor solar. Até iniciar esse tratamento, como minha exposição direta ao sol era quase nula, usava o Minesol Oil-control FPS 30. Usava-o durante o dia e, à noite, como uma das bases que uso tem FPS 15, ela era suficiente para barrar os raios da lâmpada fluorescente a que me exponho diariamente. Mas, agora, usando o tal do ácido retinoico, o medo de ter o tratamento prejudicado por um vacilo bobo sequer é enorme. Por causa disso, resolvi usar FPS 70 durante o dia e, para não aposentar o FPS 30, passei a usá-lo no fim da tarde e à noite (e dentro de casa, porque estou sempre na frente do computador). Talvez o fator 30 seja um “exagero”, mas, já que eu tenho essa opção em mãos, por que não usá-la?

Como minha pele é mista, isto é, oleosa na zona T, preciso usar produtos que controlem a oleosidade especialmente nessas áreas e, por esse motivo, escolhi os protetores Minesol, da ROC, dos quais falarei em outra postagem, senão esta ficará extensa e meio.

Mas e vocês? Com que frequência usam protetor solar?

Esfoliante facial da Empório Body Store

Há algum tempo, fui a uma farmácia em busca de um esfoliante facial. Encontrei um sabonete em barra da Clean and Clear que, nos primeiros dias, super me deixou contente. Pele lisinha, macia, etc. O porém é que, segundo a recomendação da embalagem, o sabonete esfoliante deveria ser usado 2x ao dia. E assim o fiz. Os cravinhos do rosto começaram a desaparecer e eu fui ficando super empolgada. Mas eis que a pele começou a ficar ressecada, né? Afinal, pudera! Esfoliar a pele do rosto duas vezes ao dia, durante uns 8 dias? Não daria certo mesmo.

E foi assim que, ao entrar na Empório Body Store do Shopping Plaza, encontrei este creme que, além de esfoliar, também hidrata. Tudo o que eu queria.

O cheirinho dele é super suave e agradável. Esses pontinhos pretos que vemos são os pedacinhos de casca de coco, suponho. O bambu que ajuda na esfoliação é branquinho e só pode ser sentido. É como uma areia fininha, fininha. Super sutil.

Apesar de ter essa consistência ao sair do potinho, o creme é bem fino e, ao entrar em contato com a pele úmida para esfoliação, ele se torna super fluido e facílimo de ser aplicado.

Já usei por 3x, sempre antes de dormir, e, de fato, após a esfoliação, a pele fica super macia, lisinha e hidratada. Dá até preguiça passar um hidratante facial, porque a sensação é a de que não precisa, sabe? Mas eu passo, mesmo assim.

Agora devo admitir que essa sensação de frescor, maciez, lisura e hidratação não é tão longeva. Mas acho que o meu problema é que ainda não achei um BOM hidratante facial. Tenho usado um que também é redutor de linhas de expressão para peles mistas/oleosas, da Mary Kay, mas acho que ele só é muito bom na hora de preparar a pele para a maquiagem. Como hidratante mesmo, daqueles que deixam a pele um veludo, ele não funciona. :( Aí estou na busca, mas, antes de sair me aventurando, vou consultar um dermatologista. :)

E vocês? Qual esfoliante usam? Ou não usam? Já conheciam esse? :)

Onde comprar
Nas lojas físicas da Empório Body Store ou no site da própria marca, por R$ 49,90 (meio salgado, né? Eu sei. Mas, na hora em que eu resolvi comprar, prevaleceram os fatores: creme suficiente para pouca área do corpo – ou seja, vai durar-, origem e composição do produto).

Shea butter, manteiga hidratante

Nessa terça, precisei ir ao Shopping Plaza e aproveitei para dar um pulo na Empório Body Store. Estou mesmo viciada nesses cuidados pessoais, porque entendi (acho que “finalmente!”) que eles são mesmo necessários.

Entre as coisas que comprei, está uma manteiga de karité super multiuso. Ela é própria para a hidratação de áreas secas ou ressecadas, como mãos, lábios, cotovelos, colo, cutículas (!!!!), joelhos e pés.

Vem numa latinha super fofa de 15g, que tem um espelhinho na parte interna da lata. <3 O produto não contém cheiro ou sabor e tem me parecido bem eficiente para a hidratação dos lábios (finalidade para a qual eu fiz a aquisição). Alguns podem questionar se não é pouco tempo para se fazer uma avaliação de um produto, mas os meus lábios estavam ressecadíssimos na terça-feira. Passei a manteiga para dormir e, na quarta-feira, meus lábios passaram o dia hidratados. Ontem, repeti o processo antes de dormir e, até agora, meus lábios continuam devidamente macios. Nada de ficar passando a cada 1h, sabe?

A latinha custa R$ 24,90, um precinho um tanto salgado, se pensarmos que a cera nutritiva da Granado custa em torno de R$ 14, mas a vantagem é que essa manteiguinha pode ser usada não só nas cutículas, mas em outras partes do corpo, como nos lábios, o que muito me interessava. ;) Eu costumo usar o Med Protection FPS15, da Nivea, e o kit Seda Satin Lips, da Mary Kay, mas confesso que o da Nivea é mais um “tapa-buraco” na hora de dar uma enganada na hidratação labial. O kit da Mary Kay, não, é super, hiper, mega, blaster eficaz, especialmente porque tem uma máscara esfoliante e um bálsamo hidrante. Meu problema é só com o bálsamo, porque é líquido (sério?). Mas depois faço uma resenha desse kit por aqui. ;)

Quem conhece essa manteiga e/ou quais outros produtos recomenda? :)

*Para comprar, você pode visitar qualquer loja física da Empório Body Store ou, se preferir, pode acessar a página do produto no site da marca.

Lait corporel, da Biotherm

A iminência dos meus 30 anos me deixa cada dia mais aflita. Não é que os 30, em si, tragam alguma coisa de ruim, mas a minha genética e o acesso que tive a refrigerantes e comidas gordurosas não têm me ajudado muito no quesito “manter tudo em cima”. :(

Felizmente, sou uma pessoa quase sem estrias. Elas são raríssimas, discretas e bem escondidas, amém. Também nunca tive uma pele ressecada, exceto quando morei em Belo Horizonte, cidade cujo inverno não é tão ingrato no quesito temperatura baixa, mas que é desleal no quesito umidade relativa do ar. Quando voltei a morar no Recife, minha cidade natal, descobri que minhas coxas, na região bem perto do quadril, estavam com indícios de estrias. Quase surtei, porque, se eu viesse a ganhar mesmo todas aquelas estrias, não sei o que seria de mim.

Foi aí que fiz uma compra na Sephora e, junto com o meu pedido, vieram umas amostras grátis. Dentre elas, uma discreta embalagem de 10ml do LAIT CORPOREL, da BIOTHERM. Quando recebi, havia acabado de tomar banho, então aproveitei logo a pele ainda umedecida e taquei todo o conteúdo da embalagem nas regiões mais ressecadas do meu corpo, especialmente nessa região do quadril e nos cotovelos.

Isso foi numa manhã de quarta-feira e, apesar de 3 outros banhos que sucederam a aplicação única, a minha pele permanecia bem macia. Amor na primeira aplicação.

Por isso, resolvi retornar ao site da Sephora e encomendei o hidratante, que estava disponível em duas embalagens, de 100 e 200ml. O curioso é que a embalagem de 100ml estava custando R$ 59, mas a de 200ml estava saindo por R$ 134, não me pergunte por quê. Optei, então, por pedir duas embalagens de 100ml, visto que saía mais em conta. Depois, retornei à página do produto e vi que a embalagem de 200ml está por R$ 99 e, aí sim, tá bem mais em conta.

Nos dias em que tomei 2 ou mais banhos, não cheguei a aplicar esse mínimo de 2x, porque às vezes estava com pressa. Mesmo assim, sempre aplico bastante nos joelhos, na região dos quadris, barriga, cintura, seios e braços, que são as áreas mais afetadas por estrias e ressecamento. Uma embalagem dessa de 100ml durou 15 dias, aproximadamente, mas acho que o investimento valeu a pena, porque minha pele está ficando “de dar gosto”. :)

Segundo a descrição do produto na Sephora, o LAIT CORPOREL é um

Leite hidratante para o corpo que reforça a proteção natural da pele e evita a descamação e o ressecamento. Sua fórmula com essências naturais cítricas penetra facilmente na pele, deixando-a perfeitamente hidratada, suave e lisa.
Com textura fluida não oleosa, é indicado para peles normais.
Aplicar diariamente após o banho em todo o corpo.

Sou obrigada a concordar totalmente com a descrição, porque a consistência é mesmo bem fluida e o creme tem uma absorção rápida. A pele fica mesmo bem hidratada e lisinha e o cheiro, de laranja, é suave e uma delícia.

E as estrias que estavam surgindo? Acho mesmo que eram só um início de estrias, consequências do ressecamento. Agora, nem sinal delas. <3

Super recomendo, então, para quem estiver buscando um bom hidratante. :)

Mas e aí, quem tem outras sugestões?